segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Dá! :)





"Dá o teu melhor. Dá o teu pior. Dá-te. Ri mais, chora mais, crê mais, ama mais. Sê mais. Deixa que te guiem. Deixa que te digam. Deixa que te oiçam. Permite-te estar no mundo. Sê esse mundo. Sê o mundo de alguém. Permite que alguém seja o teu mundo. Ninguém é especial sozinho – digo-te e repito-te. Somos aquilo que nos permitimos ser. Somos aquilo que nos permitimos ser aos olhos dos outros. Não 
acredites em olhos que mentem. Não acredites em bocas que falam sem saber. Ouve-te primeiro. Ouve o teu coração primeiro. Nem sempre estamos certos – mas nem sempre estamos errados. Ouve o teu coração. Ouve o coração dos outros. Há tanta coisa que nos escapa. Tantas madrugadas líquidas que se dissipam com as horas. Tantos dias de sol que nos passam despercebidos. Teimamos em deixar a vida passar por nós. Embarca na vida. Não tenhas medo." (In PedRodrigues)

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

"O mundo dá-me com uma mão, tira-me com outra e é dessa forma que vou crescendo e tornando-me naquilo que sou. Nem sempre o vento sopra a favor, mas é no meio das adversidades que entendemos o verdadeiro valor das coisas. Às vezes temos de descer ao inferno para melhor compreendermos o céu. É assim que vou sendo aquilo que sou"

(http://pedrodrigues.blogspot.pt/2013/01/dois-mil-e-treze.html)

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Permite-te...

"Não custa nada. Permite-te ser feliz. Faz alguém feliz. Não vivas uma vida de enganos e enredos e novelas amorosas. Não espalhes o “quase amor”. Não existe o “quase amor”: ou é amor, ou é outra coisa. Não sejas um malabarista das palavras, um prostituto dos sentimentos, não inventes se não sabes, se não sentes, se não entendes. Não digas que fazes para não te magoares. Não digas que tens de ser porque já sentiste e já sofreste e já choraste e já estiveste na merda. Acontece a todos, mas a vida continua. Uma coisa que fui aprendendo: depois de um pequeno amor, há um grande amor. Os romances vão e vêm como as estações. Mas o amor, o verdadeiro amor, é como o sol. Mesmo quando está atrás das nuvens, o sol não deixa de ser sol. Já reparaste?
Lembra-te disto. Lembra-te de mim. Lembra-te de tudo aquilo que te trouxe até aqui. Hoje sou eu que te escrevo. Amanhã és tu que me lês. É esta sucessão das coisas que te deve fazer acreditar. Acredita que hoje és feliz, e amanhã lembra-te: hoje é um bom dia para voltar a ser feliz."


(In PedRodrigues: http://pedrodrigues.blogspot.pt/2013/05/cronica-feliz.html)

segunda-feira, 1 de julho de 2013



A saudade serve para me dar a certeza que ficaremos juntos para sempre...